Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

meandmyboy

meandmyboy

Fico a pensar.

Março 07, 2019

meandmyboy

Bem perto de mim tem havido muita violência doméstica, são duas localidades ao lado da minha.

Eu já lá vivi no Seixal. Eu também já sofri de violência doméstica. Consegui "safar-me" porque havia provas. Mensagens escritas pelo monstro. Sorte a minha, azar o dele na hora da denúncia enviou-me outro sms , a dizer que me queimava toda. Ameaçou a mim e ainda a minha família. Tudo porque descobri que ele era casado e eu queria terminar tudo, mas ele achou que não seria como eu queria. Não vou entrar em detalhes, pois seria viver tudo de novo.

Mas e se eu não tivesse conseguido denunciar? Ou mesmo denunciando, não me tivessem protegido ou não houvesse provas? Talvez não estivesse aqui deste lado a contar isto. Estaria como todas estas mulheres, mortas , porque desde que o ano começou já foram 13 ou 14. O número não é importante  tendo em conta a gravidade da situação.  É uma grande tristeza quando um parente morre por doença , então a perda de um parente ou amigo ser morto por violência doméstica deve ser ainda maior. É também uma grande revolta, porque não houve ninguém a cuidar daquelas pessoas. Não, o monstro não foi o pai do meu filho. 

 

 

só a mim é que me acontece destas coisas

Outubro 28, 2015

meandmyboy

Hoje de manhã fui fazer prospeção com as colegas da Avon. Vocês sabem que faço sempre que posso. Hoje a coisa foi diferente. Eu e a S fomos as duas rua a fora e quando olhamos para o lado estavam duas raparigas sentadas na esplanada. A S abordou -as e acabamos por nos sentar na esplanada para fazer a nomeação da revendedora. A meio da nomeação, começámos a ouvir um casal ao nosso lado na esplanada, a discutir. Não demos relevância. Qual o casal que não tem discussões? A S. continuou com o trabalho dela e derrepente ouvimos o homem a dizer para ela. Homem: Tu só fazes merda, só eu é que te aturo, tu não vales nada. Juro que comecei a sentir-me nervosa. Ele depois deu um murro na mesa e começa a repetir que ela não valia nada. E eu toda eu tremia. Nós as quatro estavamos estupefactas com o que se estava a passar. Eu só dizia que ia ligar para a polícia , ao mesmo tempo olhava em redor e ninguém se mexia para a socorrer. Quando de repente olho para o lado e reparo que ao fundo vinha dois homens cada um com a sua camera e a jornalista de microfone em punho. Sabem quem era? A Conceição Lino. Era uma encenação, para saber qual seria a nossa reação. Fiquei com o coração a mil à hora. Eu , a S e a rapariga que estava connosco fomos entrevistadas. Só vos digo que fiquei enervada com a situação e só espero que cortem aquilo que eu disse. Porque o que eu repondi foram frases curtas e ainda por cima devia estar tão vermelha por estar em frente a uma camera. Não, não sou daquelas que gostam de ter os seus 15 minutos de fama. Só a mim!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub